Como tudo começou

E tudo começou com um sonho…

Este sonho começou, pelo facto de estarmos em plena comunhão com a tradição e a natureza, e pela vontade de divulgar este nosso ser terra, Candelária e ilhéu. É forçoso dizermos que é pelo facto de estarmos em contacto com o modo de vida dos nossos avós e por estarmos habituados a este costumes e tradições, fazendo-os parte da nossa rotina. O quintal que todas as casas da Candelária têm, a agricultura que era a base da subsistência, as frutas sazonais que eram aproveitadas em forma de “doces” (compotas), as pimentas salgadas ou as “salmouras”, a “calda” (massa de pimenta), a polpa de tomate, e uma vasta gama de curtumes.

Desta forma, e como que fazendo parte de nós mesmos, da nossa identidade cultural nasceram as nossas marcas e os nossos produtos.

Para que tudo decorresse seguindo uma linha fidedigna, foi feita uma investigação histórica, junto dos mais experientes na vida, para aperfeiçoarmos os nossos conhecimentos e técnicas.

Deste modo, apontamos no ano de 1997 como a génese de todo o trabalho, que envolveu a criação da nossa empresa, do sonho, que acalentamos até hoje. Sendo assim, já em finais de 1998 começámos a comercialização de produtos, inicialmente e tradicionalmente confecionados apenas pelos dois proprietários Fernando Manuel Pereira de Sousa e esposa Helena Margarida Pavão de Sousa.

É necessário referir-se que a empresa tem levado mais além o nome da Candelária, dos Açores e de Portugal, comercializando a sua vasta gama de produtos em todos os Açores e Portugal continental, exportando para vários países europeus, para os países da diáspora portuguesa, participando em feiras, amostras gastronómicas, já lhe tendo sido atribuídos diversos prémios e condecorações.